Pink

Pink

Quando a Pink e sua irmãzinha Bebê foram abandonadas no jardim de nossa casa mal sabia o quanto a minha vida e da minha esposa mudaria. Nada sabíamos sobre gatos e juntos com elas fomos aprendendo. Rapidamente elas se tornaram a coisa mais preciosa de nossas vidas e é difícil descrever a felicidade e o amor profundo que nos proporcionaram. A Pink era a espoleta da casa e ao mesmo tempo a doçura sem fim. Ela era a nossa diva. Toda pequenina parecia uma ratinha disfarçada de gatinha. Nos deixava pegar ela no colo como um bebê quando recebia beijos duplos de todos os lados do papai e da mamãe. Após dois anos de um felicidade sem igual acabou partindo de um forma tão repentina, apesar de nossa luta absoluta para salvá-la, que ainda parece difícil acreditar que ela não está mais aqui. Eu, seu papai, posso dizer que foi com a Pink que pela primeira vez na vida amei de forma incondicional. Nunca a esquecerei. "Foi um vento que passou... que trouxe e te levou... deixando no corpo a marca do amor... que marcou demais...demais"